Como o sol afeta o nosso corpo

Com a chegada do verão e abertura da época balnear, chega também a época de alcançar o habitual bronze de verão! Porém, antes de se lançar na busca desse objetivo tenha em atenção como o sol pode afetar o nosso corpo.

No entanto, a exposição solar não é apenas prejudicial, o sol também pode trazer muitas coisas boas para o nosso corpo e bem-estar… fique a saber quais são!

Bem-estar

O sol afeta a nossa disposição ao provocar a libertação de serotonina pelo nosso cérebro, este neurotransmissor irá desencadear uma sensação de bem-estar. Este é um dos motivos pelos quais no inverno – e consequente redução da exposição solar – existem tantas pessoas com tendência a ficarem deprimidas.

Vitamina D

Não só podemos obter vitamina D através da alimentação, como também o nosso corpo produz vitamina D quando em contacto com a luz solar. Mas não é preciso passar um dia inteiro ao sol para a sintetizar, bastam pequenos períodos ao longo da semana para o fazer… as mãos e cara também contam!

Ossos mais fortes

Uma vez que a vitamina D é essencial para uma boa fixação do cálcio, a obtenção de bons índices de vitamina D permite que os nossos ossos saiam fortalecidos.

Menor risco de cancro do pâncreas e mama

Alguns estudos têm demonstrado que a carência de vitamina D pode levar a um risco mais elevado de obter cancro do pâncreas e cancro da mama.

Pressão arterial

A pressão arterial tende a ser mais elevada durante o inverno e a explicação parece estar ligada à exposição solar, uma vez que o sol aumenta os índices de oxido nítrico na corrente sanguínea. Este aumento leva a uma dilatação das veias e, como tal, a uma redução da pressão arterial.

Artrite

A exposição solar faz com que estejamos sujeitos aos raios ultravioletas, sendo que segundo um estudo os raios UVB parecem diminuir o aparecimento da artrite.

Sistema digestivo

Um estudo demonstrou que os habitantes de locais onde a exposição solar é maior tendem a ter menos problemas digestivos, como é o caso da síndrome do intestino irritável e a doença de Crohn.

Alergias

Segundo um estudo australiano as doses de vitamina D também parecem ter uma correlação com o aparecimento de alergias, no entanto, não nos podemos esquecer que se pode tratar apenas do facto de a atividade ao ar livre levar a um fortalecimento do sistema imunitário.

Sono

A exposição solar durante o dia e a redução da mesma à noite ajuda-nos a melhorar o nosso ritmo circadiano.

Gravidez e fertilidade

Doses baixas de vitamina D podem reduzir a fertilidade ou aumentar as complicações gestacionais, para além disso durante a gravidez a carência de vitamina D pode levar a que o bebé nasça abaixo do peso.

Raquitismo

Apesar de nos dias de hoje já ser rara esta doença, uma vez que os bebés tomam desde logo um suplemento de vitamina D, antigamente o défice de vitamina D levava a que os ossos não se formassem da melhor forma pois o cálcio não era bem absorvido.

Envelhecimento da pele

Este é logo um dos principais sintomas a que podemos estar atentos como sinal que estamos a exagerar na exposição solar. A exposição solar excessiva pode levar a um envelhecimento precoce da pele, pois os raios ultravioletas podem danificar as células da mesma.

Cancro da pele

Estes é provavelmente um dos problemas mais críticos da exposição solar excessiva e como tal já muito abordado, por isso nunca é de mais relembrar para ter cuidado com o tempo que passa ao sol, nas horas a que o faz e claro não esquecer o protetor solar!

Visão

O sol e a exposição aos raios ultravioletas pode prejudicar a nossa visão, como tal aconselha-se a utilização de óculos de sol de forma a proteger a mesma.

Dor de cabeça

A exposição solar prolongada pode provocar dores de cabeça em especial quando a luminosidade é elevada, para além disso é importante manter-se hidratada pois a desidratação é uma das causas das dores de cabeça.

Promoção da semana!